CAIPIRADA É A QUADRILHA CAMPEÃ NACIONAL

O prefeito Reis, incentivador do trabalho de Vovô desde sempre, recebeu o líder da campeã em seu gabinete e aponta para o troféu. “Demoramos, Vovô, mas chegamos”, disse apontando para o 1º Lugar , nº 1, da Quadrilha Junina Nacional.
O diretor do CIEM, Professor Zenilton Costa recebeu Vovô com a empolgação de quem já previa o resultado. Afinal, o espaço da escola é área de ensaio da Caipirada que conta com a participação de alunos do colégio.
O casal de noivos da Caipirada, Nicolau e Maria Preá são um show à parte.
O Secretário de Esportes planaltinense é um dos apoiadores e torcedor da Caipirada e de todos os grupos de Quadrilha Junina. “Grande conquista para nossa cidade”, disse.

Planaltina tem sido um celeiro de ideias, invenções e talentos nem sempre reconhecidos. É necessário dizer que um município, uma cidade se faz por sua gente, por seu povo e não por suas ricas ou pobres casas, pelas fazendas grande produtoras ou pela agricultura familiar, pelo comércio atacadista ou pelos botecos da periferia, antes, é feita pela movimentação de sua gente que trabalha, que labuta, que pensa, que age, que dança e canta sua felicidade e suas amarguras.
Artistas individuais, músicos como Rodrigo Rocha, Jerson Curado, Tiaguinho Vanceta, Daia Tomkelski, o pintor-artesão Etevaldo Barros, o tatuador Jersinho Curado, as duplas musicais como Márcio e Marcelo, Vicente e Paulinho os grupos como Lampião Elétrico, Novo Xote e outros são a prova da força artística planaltinense e, certamente, o indicativo de que a mistura cultural experimentada pela região a partir de meados da década de 1950, está a gerar talentos em todas as áreas. E se nos detivemos apenas nos artistas, é somente devido suas exposições mais frequentes e de fácil observação, no entanto, escritores, estudantes e já profissionais de todas as áreas de atividade, aparecem com desenvoltura inata nos cenários local e regional.
As festas juninas, que já eram tradicionais na região antes do advento de Brasília, tomaram uma coloração e uma movimentação mais forte com o chegar do povo nordestino. Juntou-se a isso o incentivo que os governos do Distrito Federal, especialmente, começaram a dispensar aos grupos de quadrilha junina, fortalecendo as iniciativas, premiando aos mais aplaudidos e até, finalmente, organizando as festas e os concursos através das ligas regionais, sempre incluindo o Entorno como parte cultural do Distrito Federal.
Em Planaltina existem, hoje, oito grupos de quadrilha, filiados a duas ligas a LINQ- Liga Independente de Quadrilhas Juninas  e a União Junina. Participam da LINQ os grupos Caboclo do Sertão, Xique-Xique e Arraiá dos Matutos, enquanto na União estão Chamego Bom, Filhos do Sertão, Arriba a Saia, Rata-pé e Caipirada.
A Caipirada, grande campeã da liga União Junina e campioníssima do Brasil em 2019, conta com 28 casais de dançarinos, o casal de noivos do grupo é o mais conhecido e premiado na região (Nicolau e Maria Preá), tem sede na Quadra 12, do Setor Norte, ensaia na Escola Estadual CIEM e na Municipal Paulo Freire, é mantida pela instituição Sócio-cultural Lapidar e recebeu como incentivo financeiro um cheque de 10 mil reais pela vitória sobre todas as demais quadrilhas dos estados que participaram do certame, realizado à semana passada, organizado e promovido no Distrito Federal.
Fundada em 2003, justamente no dia 15 de agosto daquele ano (comemorando, hoje, 16 anos), tendo como idealizadores o GCM João Negão, Claúdio Choquito e Chacal o grupo de quadrilha junina Caipirada, vinculada e orientada desde aquela época pelo Instituto Cultural Lapidar, presidido por Márcio Eduardo Moraes Duarte, o popular Vovô, sagrou-se Campeã Nacional do Circuito de Quadrilhas Juninas este ano (2019), representando o Estado de Goiás no concurso realizado neste início de Agosto em Brasília, isso, depois de sagrar-se campeã da União Junina de Brasília e Entorno uma semana antes. Para chegar a este sucesso, com um grupo que se dispersa a cada ano, “Uns porque ficam de maior e começam a trabalhar fora, outros se casam, alguns vão fazer faculdade, outros…” explica Vovô e onde o participante mais jovem tem 13 anos e o mais velho (ele, Vovô) tem 43, é necessário um trabalho árduo e que conte com o apoio de muita gente. Assim é que os participantes lembram-se da Câmara de Vereadores, do prefeito Dirceu Araújo e de sua esposa, dona Geônes, que, no início de tudo “deram grande apoio”, do atual prefeito Eles Reis de Freitas e de sua esposa, primeira dama Adriana, assim como do diretor do CIEM, Professor Zenilton Costa.
Movimento, imagens deslumbrantes e carisma foram os ingredientes que os bailarinos caipira usaram para mover o público e os jurados na direção da nota máxima em todos os quesitos julgados.
Chacal, um dos fundadores do grupo em 2003, está de volta à Caipirada a partir deste ano, garantiu a nossa reportagem. Ele é um dos mais premiados marcadores de quadrilha da região, sagrando-se tricampeão este ano (2017, 2018 e 2019) seguidos, carimbaram o reconhecimento do artista das festas juninas do cerrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *