PONTO DE VISTA – Por Adalberto Leonardo de Oliveira

Ex-vereador Adalberto
Galeria da Câmara com os 17 nomes que hoje compõem o Legislativo planaltinense

Fui vereador em Planaltina por cinco mandatos. Vivi, no decorrer destes mandatos, situações as mais diferentes, mas sempre buscando fazer jus ao voto do meu eleitor, aquele que é, de fato, o dono do mandato de cada parlamentar, de cada homem público dos poderes Legislativo e Executivo de nosso município. Por esta credencial, penso, posso continuar contribuindo com a cidade que sempre defendi, lugar que meus filhos nasceram: Planaltina.

A situação política de nossa Planaltina hoje, é uma situação que merece ser melhor orientada pelos parlamentares (vereadores) que estão na Câmara, sob pena de serem todos sacrificados frente à evolução de informações na sociedade que, nem sempre, está recebendo as notícias corretas e porisso,  sujeita-se a condenar a quem não tem culpa e a libertar a quem, de fato, cometeu ou está a cometer erros. Isso porque, ainda temos muitos eleitores e futuros políticos que, devido o pouco debate das questões políticas (não politiqueiras), ainda não sabem como os poderes funcionam na democracia. Daí então, a Câmara (Poder Legislativo) que está mais perto do povo, é quem sofre mais as consequências negativas.

Entendo que hoje, devido justamente ao momento de debate em redes sociais, indispensável para melhoria do conhecimento de todos em uma cidade, os vereadores ou qualquer parlamentar, representante do Legislativo, deve estar bem equipado em seu gabinete, em sua vida pessoal para poder orientar-se frente aos problemas vividos pelo povo. Como podemos imaginar, hoje, um vereador sem ter um bom telefone celular? Se o cidadão eleito não tiver um celular de uso pessoal,(Só um exemplo) seria justo que a Câmara lhe oferecesse um aparelho para que prestasse um serviço adequado para seus eleitores? Se o eleito não tiver um escritório adequado em casa, é justo que a Câmara lhe ofereça um gabinete equipado para seu trabalho? Acredito que tudo isso, assim como o carro oficial para viagens dentro e fora do município são necessários para que o representante do povo alcance seus objetivos. Se isso não ocorrer, mesmo com este apoio, aí o povo vai decidir nas urnas a permanência ou não do vereador, analisando seu serviço prestado. Os gastos para isso são previstos em Lei e existe recursos financeiros disponíveis em  cada município para que cada poder, distintamente, dê as condições necessárias para quem foi eleito para prestar serviço, fazer o trabalho para a população. Assim é que o Executivo (prefeito e secretários) deve equipar da melhor maneira possível os servidores para que atendam o povo naqueles serviços que lhe são de responsabilidade: Educação, Saúde, Segurança, Infraestrutura, etc., o Legislativo deve também equipar  aos vereadores e a seus assessores para poderem fiscalizar o Executivo, terem condições de criar legislação adequada, orientar a sociedade na busca de reivindicar seus direitos, conhecerem como funciona a administração pública no seu todo.

São 17 Vereadores na Câmara planaltinense, que dispôem de uma parcela significativa dos recursos arrecadados pelo município, dinheiro que a mesa diretora, a presidência da Casa, deve endereçar para ser gasto, especialmente, na direção de orientar a sociedade sobre a distinção e ação dos poderes. Neste sentido, devido os novos tempos da comunicação, todo o esforço feito para esclarecer a população é pequeno e vai, sempre, exigir mais dos parlamentares e em especial de quem estiver à frente do Legislativo.

Os tempos são outros, os jovens vereadores são outros mas trabalhar para a municipalidade não muda. É preciso equipar-se de novas ideias e das ferramentas de hoje para nos manter informados e, em especial, ter amor pelo trabalho político para servir à sociedade. Ser vereador hoje e sempre é poder dar orientação correta para sua comunidade.

Ass.: Adalberto Leonardo de Oliveira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *