domingo, maio 22, 2022
InícioPlanaltinaPonto de Vista - A SUCESSÃO PLANALTINENSE E SEUS EXAGEROS

Ponto de Vista – A SUCESSÃO PLANALTINENSE E SEUS EXAGEROS

Na democracia a luta sucessória é, pode-se dizer, uma constante. Aqui em Planaltina, por exemplo, dá-se intensamente e é até difícil caracterizar um fato, um movimento, que defina mais claramente o início ou o fim da disputa de um mandato eletivo. Você estranha? Desde 2009, portanto há dez anos, que o município vive instabilidade no poder Executivo (Prefeitos acusados, condenados e cassados outros impedidos de concorrerem), teve problemas sérios dentro do Judiciário (Cartório julgado e dono trocado) e até presidente do Legislativo preso por, supostamente, realizar falcatruas. Tudo avalizado pelos olhos dos que buscam chegar ao poder municipal e até mesmo incentivado por eles. Existindo, inclusive, candidato que é candidato a qualquer cargo (antes ou depois) nas disputas municipais, ou seja, um candidato que não chegou ao poder mas, que tem sua campanha já antecipada para a próxima eleição, seja lá do que for.

Agora, neste início de junho, um movimento da Câmara de Vereadores, precipitou a campanha de 2020. O prefeito municipal Eles Reis de Freitas, que já tinha cumprido meio mandato entre 2015/2016, isso depois da cassação do prefeito reeleito em 2012 e iniciado um trabalho de recuperação da municipalidade, teve seus balancetes daquele período rejeitados pela Câmara (11 X 5 e 1 abs.), tornando-se inelegível para 2020, numa clara ação de impedimento de possível forte candidato adversário no próximo pleito. Pareceu-nos o start, pois o prefeito Reis que, assumiu em novembro passado, vinha focado no trabalho de recuperação da cidade que, tivera seu prefeito eleito em 2016, cassado e passava por mais uma turbulência, sentiu o golpe e já se sabe, está na busca de achar alguém de seu grupo político que possa, competentemente, substituí-lo. Aí começam-se as especulações. Quantos candidatos a prefeito aparecerão? O prefeito (PTC) vai ter o candidato dele, claro; o Delegado Cristiomário (PSL) é candidato, diz; Carlim Imperador pode vir pelo PROS; Carlinhos do Egito (PSDC) tem sua vontade; Genival Fagundes (PMB) trabalha nesta direção; Ronaldo Portilho, sem partido, agora aposentado, está olhando o movimento; um candidato da esquerda com o PT não pode ser descartado; o vice prefeito João Neto tem o PR na mão; Dinha (ex-prefeito) tem o DEM e Ronaldo Caidado; o vereador Almério Barros é força do PSC e o Professor Zenilton tem apoio do PSDB. Viu? E, para agravar a situação temos uma legislação que aponta para a ausência de coligações para a vereança, levando-nos a crer que outros nomes poderão aparecer isolados, na busca de melhorar o índice de votos de seus partidos pequenos. Dez candidatos a prefeito em nossa cidade é muito? Seria a primeira vez e possibilitando que um deles seja eleito com entre 15 e 20% dos votos válidos apurados, já que não se tem segundo turno em cidades com menos de 200 mil eleitores, o que é nosso caso. Em meio aos exageros fica difícil para o eleitor conduzir ao poder políticos comprometidos com o futuro da cidade. Ainda temos a possibilidade de prorrogação de mandatos de prefeitos. Mas, esta é outra história.
RELATED ARTICLES

Deixe uma resposta

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

ANA C M S FIGUEREDO on DESTAQUE SOCIAL – Aninha Macedo –
Rock sem partido on O CARNAVAL FOI LIBERADO?
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Edson Campelo de Amiranda on Ponto de Vista É PRECISO POLÍTICOS LOCAIS
Antonio de Pádua on Sobre
Antonio de Pádua on Sobre
Ceiça Nascimento on Sobre
LUCIANA FREITAS on Sobre
Tatiana Mourão on Sobre
admin on Sobre
Evando Meneses on Sobre