segunda-feira, maio 16, 2022
InícioPlanaltinapONTO DE vISTA

pONTO DE vISTA

PANDEMIA, GUERRA E DESGOVERNOS

Estamos vivendo um momento de crucial importância frente ao enfrentamento da pandemia do COVID 19. Analisando sem paixão o quadro encontrado, conclui-se que pouco aprendemos do vírus, de sua disseminação, de seu contágio e, especialmente não nos desvencilhamos de nossa reconhecida mania de resolvermos as questões sem a devida discussão, na base do achismo, no peito para dizer que “fui eu”.

O SUS, tripartite em sua gestão, sofre com os desencontros dos três entes federados. O município não se entende com o governador e estes, por sua vez, não se entendem com o presidente da República dificultando as ações que viriam de encontro a minorar os problemas ocasionados pela pandemia e vividos pelo povo.

A liberdade administrativa necessária, gerada pelos instrumento legais usados no combate à pandemia (motivo maior desta liberdade), se, por um lado permite que os gestores conduzam mais rapidamente suas ações para alcançarem o objetivo proposto, por outro permite que os mais afoitos tomem medidas contestáveis e até descabidas, que de nada prestam para alcançar aquele propósito.

Aqui em Planaltina, por exemplo, tivemos tempo para cometer todos desatinos imagináveis no decorrer dos anos de 2017, 2018 e 2019 quando passaram pela cadeira de prefeito nada menos do que seis nomes, deixando o sistema administrativo quanto a ação de governo, totalmente inoperante. Agora, com o retorno do PROS ao governo, depois de cassado em 2018 e ter ocasionado a todo processo de desgaste municipal, tenta recuperar o tempo e, sabem os mais experientes, “o tempo não para” e muito menos volta, o que significa que não adianta correria depois que o dia se foi. Para recuperar obras é trabalhar noite e dia e para recuperar credibilidade política é errar menos. E para não errar é preciso fazer as coisas com a devida discussão, com a participação dos interessados, sem preocupação com ano eleitoral, esperando a maturação e até mudando estratégia, senão, não é política. É preciso quem tem paciência e tino democrático para a condução do trabalho.

Por fim, não podemos ficar perdendo tempo com correria desordenada. Precisamos aproveitar este tempo de dificuldades para nos unir e não para nos dispersar, doutra forma a guerra estará perdida por completo, ou seja, o sacrifício daqueles que morreram de nada servirá, não teremos ganhos para o povo e nem avanços necessários para sonharmos com uma sociedade mais humana e justa.

RELATED ARTICLES

Deixe uma resposta

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

ANA C M S FIGUEREDO on DESTAQUE SOCIAL – Aninha Macedo –
Rock sem partido on O CARNAVAL FOI LIBERADO?
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Edson Campelo de Amiranda on Ponto de Vista É PRECISO POLÍTICOS LOCAIS
Antonio de Pádua on Sobre
Antonio de Pádua on Sobre
Ceiça Nascimento on Sobre
LUCIANA FREITAS on Sobre
Tatiana Mourão on Sobre
admin on Sobre
Evando Meneses on Sobre