PRAÇAS RESSECADAS

A praça Joaquim Mineiro, espaço com pouco mais de dois anos de uso está abandonada.

Mesmo considerando o período de muita seca, não é possível ver sem questionar: porquê as duas únicas praças públicas da cidade estão abandonadas, ressecadas?

A praça mais antiga, Jurandir Camilo Boaventura é um dos locais mais aprazíveis da cidade. As árvores: sibipirunas, ipês, coqueiros, mognos, mangueiras e outras frutíferas adaptáveis ao cerrado já teem mais de trinta anos e não sofrem tanto com a longa estiagem que, no mês de agosto, atinge os 90 dias sem chuva.

A nova praça Joaquim Mineiro, situada de frente a Caixa Econômica Federal, que tem pouco mais de dois anos construída passa por momento crítico, porque sem nenhuma ajuda quanto a água, sofre com o gramado esturricado e árvores novas perdendo as folhas e até morrendo frente a pouca umidade.

No que pese o zelo pelo antigo banheiro transformado em Posto da GCM ou mesmo a pintura do coreto, a ausência de água para regar o gramado é questão primordial para embelezar as duas únicas praças da cidade.

Enquanto o prefeito Cristiomário Medeiros caminha com desenvoltura catando lixo para pedir a todos a colaboração justa no sentido de melhorar a limpeza da cidade, porque não completar o quadro com as únicas praças limpas e bem cuidadas?

Deixe uma resposta