TROCA TROCA NA CÂMARA

Vereadores da base do prefeito Cristiomário e advogado pressionam o vereador Fagundes(PL), de máscara verde para votar alterações nos Códigos.

Os vereadores do município de Planaltina, cidade goiana do Entorno Norte do Distrito Federal e a 250 quilômetros de Goiânia, estão vivendo dias de intensa pressão, propiciada pelo prefeito Delegado Cristiomário Medeiros (PSL) que enviou à Câmara um pedido de votação em Sessão Extraordinária de dez matérias importantes, dentre elas alterações substanciais nos Códigos de Postura e Tributário municipais, merecendo reação indignada da oposição. (Matéria de ontem).

No intento de aprovar as matérias, contidas nos Projetos de Lei 09 e 10/2021, o prefeito está promovendo verdadeiro troca-troca de vereadores, oferecendo vantagens de cargos, inclusive Secretarias de Governo no município, como já o fizera na aprovação da nova Taxa de Iluminação Pública.

A resistência já expressa pelos vereadores Genival Fagundes (PL) e Juninho Alves de Oliveira (PROS) levou o vereador Wilson Gaúcho (PSDB) a retornar a sua cadeira, retirando o suplente Biro-biro, assim como o suplente Lindomar Castro (PRTB) assumiu a cadeira de Enivaldo Tinica (PRTB). As mudanças são vistas como negociata pelos moradores, já que tanto Gaúcho quanto Tinica foram eleitos pela oposição, já tendo o vereador Gaúcho recebido vantagens para votar aprovando a Taxa de Iluminação Pública e agora, Tinica vai no mesmo caminho.

O vereador Piloto (DEM) um dos apoiadores do Delegado Cristiomário de primeira hora, já tem o ex-prefeito e ex-vereador Ernandes como seu suplente, o que deve permanecer, tornando possível a maioria necessária para aprovar qualquer matéria.

“O prefeito tem de adquirir pelo menos um imóvel na cidade! Ele não é daqui, não vai ficar aqui e quer cobrar de nós, moradores, os impostos e taxas que ele não paga”, disse um morador a nossa reportagem.

Enquanto isso o vereador Genival Fagundes enfrentava um batalhão de vereadores da base governista, assessorados pelo advogado da prefeitura que buscavam convencê-lo da necessidade de se aprovar os pedidos do executivo.

“Não tem problema. Vamos lutar e se aprovarem, pedimos a anulação dos dois Projetos 09 e 10 ao Judiciário” comentou Juninho a nossa reportagem, enquanto Fagundes insistia que poderá fazer o mesmo, “já que querem desrespeitar o Regimento Interno e nos fazer de palhaço, inclusive com este troca-troca vergonhoso, vamos pedir vista de artigo por artigo dos Códigos, respeitando nosso cidadão, que não merece não saber as mudanças que estão sendo feitas” explicou o vereador.

Deixe uma resposta