O Conselho da Petrobras decidirá em breve sobre a política de preços dos combustíveis .

O Conselho da Petrobras decidirá em breve sobre a política de preços dos combustíveis .

Na última quinta – feira (27/7), o Conselho de Administração da Petrobras aprovou uma portaria que reforça a política da estatal em relação ao preço dos combustíveis, ou mais especificamente , de olho no mercado externo .

Adicionalmente, o Diretor de Precificação no Mercado Interno, formaliza uma prática já existente ao incorporar uma seção para a Coordenação de Administração e Conselho Fiscal supervisionar a implementação das políticas de precificação com base nas cotações trimestrais relatório do Diretor Executivo .

Na organização atual, os reajustes são definidos pela diretoria executiva, a qual é formada pelo presidente, pelo diretor financeiro e pelo diretor logístico da Petrobras. Os valores são definidos de acordo com a cotação internacional do petróleo e do câmbio.

” A menos de três meses das eleições , o presidente da República manifesta preocupação com os aumentos inflacionados dos preços dos combustíveis que foram utilizados ao longo da sua gestão. Desde que a política de paridade de preços de importação (PPI) foi implementada há vários anos , a Federação dos Produtores Únicos de Petróleo (FUP) vem alertando sobre o absurdo dessa prática” , afirmou a entidade em nota.

 

Mudanças
Poucos meses antes das eleições, o governo federal pressionou o estado para promover a redução dos preços dos combustíveis .

Bolsonaro já havia mencionado a possibilidade de mudar a política de preços .“É uma empresa que é pública e privada, é as duas coisas. Então, eu não mando lá. Fizeram uma regulamentação própria no governo Temer para estancar a hemorragia da roubalheira dos governos Dilma e Lula. (…) Foi feito lá um acerto, e o estatuto da Petrobras criou a tal Paridade de Preços Internacionais (PPI), que, no meu entender, já cumpriu o seu papel. É igual a um torniquete: você faz ali, mas quando acaba a hemorragia, você tem que afrouxar” disse Bolsonaro em entrevista à rádio Itália.

O legislador declarou que não há justificativa para que os aumentos de preços sejam repassados ​​imediatamente aos consumidores brasileiros . “Embora o estatuto da Petrobras se refira ao PPI, a periodicidade do mesmo é de um ano. Portanto , não é necessário subir imediatamente.”

Deixe uma resposta