PROCESSO DE DR. DAVI DARÁ PASSO DEFINITIVO?

Dando continuidade ao processo que pede a cassação do prefeito de Planaltina Dr. Davi e de sua vice Pastora Cida,  novo capítulo é aguardado para hoje no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás. O pedido de cassação dos dois (chefe e sub-chefe) do poder executivo planaltinense basea-se no “abuso de poder econômico e político” que teria ocorrido no decorrer da campanha eleitoral de 2016, quando os dois foram eleitos e assumiram suas funções a partir de 01 de janeiro de 2017. Dr. Davi e a Pastora Cida, ambos filiados ao PROS, assumiram seus cargos com o processo de pedido de cassação já encaminhado pelo Ministério Público e, de lá para cá, já perderam na decisão proferida em primeira instância, quando o Juiz Alano Cardoso e Castro da 44ª Zona Eleitoral de Goiás, Planaltina, deferiu o pedido do MP, cassando os dois políticos e multando-os, assim como fez com um empresário envolvido no episódio. Isso em despachos em 04 de setembro de 2017 e depois em 04 de outubro do mesmo ano, quando o processo foi encaminhado recursalmente para o TRE-GO. Neste momento, em Goiânia, no espaço deste Tribunal (FOTO), ocorre mais um momento do julgamento que poderá ou não redundar na cassação dos políticos. O Sindiplag – Sindicato dos Servidores Públicos de Planatina – fretou micro ônibus e adversários políticos do prefeito que apoiam a interrupção do mandato dos dois mandatários fazem-se presentes para pedirem o encerramento do processo com a cassação de Dr. Davi e da Pastora Cida, assim como partidários do prefeito estão enchendo o plenário do tribunal em Goiânia, capital do Estado. A seção está sendo transmitida ao vivo pelo face do vereador Genival Fagundes (PNM), assim como pelo Sindiplag. O vereador Genival, observando in loco e transmitindo ao vivo o evento, disse a nossa reportagem que o julgamento se encerraria hoje, mas um pedido de vista ao processo, novamente irá levar a discussão para a semana que vem. Já há possibilidade de uma protelação ainda maior pelo TRE e até mesmo livrar o prefeito da cassação, já que o relator manteve o voto do Juiz de 1ª Instância, mas diminuiu a pena pecuniária e já livrou a vice prefeita, Pastora Cida, da inegibilidade. “Tudo aponta para um pizza”, comentou via face o jornalista da Tribuna do Nordeste, Wosley Casado, que assistia on line ao julgamento.

 

FOTOS – 1) – Plenário do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás ainda vazio, antes do início da seção e 2) – Interior do ônibus do SINDIPLAG a caminho de Goiânia para pedir a cassação do prefeito.

Deixe uma resposta