Opinião – 2019 É O INÍCIO DE UM NOVO TEMPO

O ano de 2018 pode ter marcado uma nova etapa da vida do povo brasileiro, devido as muitas ações e iniciativas que, apresentadas, podem significar um novo rumo para todos nós. Todos queremos um 2019 melhor, mas todos nós também sabemos que, se não estivermos calçados em alguma segurança de ontem, nada poderá ser feito hoje. Simplificando: Se não jogarmos o jogo não seremos nunca premiados. Porisso, temos a certeza de que o quê era para ser feito, de uma forma ou de outra fizemos enquanto sociedade que somos. Jogamos o jogo. A nível federal conseguimos a façanha de derrotar um grupo de comando que já se sentia dono do poder, assim como a nível de Goiás, mudamos o nome da condução política, sem mudarmos o rumo da economia e da produção que tem trilhado o estado: o agronegócio; em Planaltina o Judiciário fez o seu papel e a sociedade reconduziu o prefeito que fora derrotado injustamente nas eleições de 2016. Para pensarmos no futuro, é claro que apostamos agora. Bolsonaro, o futuro presidente a partir de amanhã, terá uma batalha árdua para conduzir a nação na direção a que propõe. Vai encontrar uma resistência feroz daqueles que, se não querem o mal do País, querem muito mais o comando para dizerem que foram os protagonistas de qualquer melhoria. Vai ser instigado instante a instante para fugir de seu perfil democrático e enveredar para o autoritarismo. Vai, inclusive, ser acusado de ditador, mesmo quando estiver com a maioria, somente para inculcar negatividade naqueles que tem na democracia uma garantia de alternância de poder, de mudança efetiva promovida pela maioria. Em Goiás, o perfil de mandatário que antecedeu a Getúlio, os Caiado, pode também parecer exagerado, mas, certamente, Ronaldo saberá como conduzir o estado rumo a manter o norte na produção agrícola, mantendo Goiás como grande potencial no agronegócio. Em Planaltina, Reis que retorna por absoluta necessidade de Justiça é do mesmo perfil dos dois outros governantes maiores. Focado nos problemas municipais sabe das limitações existentes, mas nunca fugiu dos embates e quando governou por dois anos (2015 e 2016) deixou o governo com a sensação de que poderia produzir mais. Assim é que pode-se apostar em uma nova era, um novo rumo, uma nova condução dos negócios públicos no Brasil, em Goiás e em Planaltina. Otimismo? Não. A mudança dar-se-á no tocante à forma mais honesta e menos estatizante que serão conduzidos os governos. Nada mais significativo do que o desmonte de grupos que, reconhecidamente, tinham se apoderado da máquina pública e com ela elegiam ou reelegiam a quem lhes aprouvesse. A marca de 2018 é emblemática. Estamos iniciando um novo ciclo. Que possamos entender os sinais para, mais um vez não perdermos o bonde da história.  FOTO – Nova praça pública sendo recuperada em Planaltina. Nada mais emblemático do que a decoração natalina que expressa o renascimento, assim como o trabalho de regar a praça para que ela renasça com força.

Deixe uma resposta