ponto de vista – O IMPASSE LEGISLATIVO X EXECUTIVO EM PLANALTINA

O prédio da Câmara planaltinense tem sido palco de decisões controversas e contestadas do vereador presidente Carlim Imperador.

A Câmara de Vereadores de Planaltina – Terra de criança feliz – vem, e não é de agora, causando problemas para o poder Executivo do município, para o prefeito Eles Reis de Freitas. Desde meados deste ano, quando aceitaram o parecer do TCM – Tribunal de Contas do Município – que apontava irregularidades técnicas nas contas da administração do prefeito em 2015, quando da primeira passagem de Reis pelo comando da prefeitura, não se acertou mais o compasso entre os dois Poderes.

O presidente da Câmara, Carlos Lopes Ribeiro, o popular vereador Carlim Imperador (PROS), depois de apoiar Reis para o mandato tampão de dois anos e pouco, isso, depois da cassação judicial do mandato de Dr. Davi (PROS) seu correligionário, resolveu tornar-se em adversário ferrenho do prefeito. De adversário pessoal de Reis (PTC), o prefeito, devido a imbróglios que aqui não cabem, Carlim tornou-se franco atirador contra qualquer interesse que venha da prefeitura.

No início de dezembro o vereador Lindomar (PCdoB),  através de rede social, fez denúncia contra o prefeito, exibindo documentos que, supostamente, seriam provas contra o prefeito Reis e encaminhou pedido de providência à presidência do Legislativo que, em resumo, é o poder que deve julgar os atos do Executivo.

No dia 15 de dezembro, data para eleição da nova mesa diretora do Legislativo, Carlim pretendia continuar seu trabalho à frente da Casa, mas a Chapa 2, oposicionista a ele, teve a maioria dos votos, derrotando suas pretensões, tendo à frente o vereador Salvador de Paula (PR) um dos  defensores da administração do prefeito Reis.

Depois de dar como encerrado o ano legislativo sem aprovar a Lei Orçamentária Anual – LOA – e causar impasse devido a proibição expressa na Lei Orgânica Municipal de não permitir recesso antes de se aprovar o Orçamento ou contas para o ano seguinte, Carlim retornou à Câmara para Sessões Extraordinárias, convocadas justamente com a finalidade de votar aquelas pendências e, sem nenhum debate, alegando o pedido de providências do vereador Lindomar, baixa ato cassando o prefeito Reis, convocando, imediatamente, e dando posse ao vice prefeito, João Neto (PR). Um ato que deverá ser analisado pelo Judiciário para ser validado ou não, mas que já causou estragos irreparáveis para a municipalidade.

O que se espera para 2020 é que, passada a administração adversária de Carlim Imperador (PROS) e o comando de Salvador de Paula (PR) faça-se presente na Câmara, o impasse do Legislativo com o Executivo de Planaltina seja superado e o prefeito tenha dias de paz para poder enfrentar os inúmeros problemas que a cidade vive.

Tenham todos um Feliz Natal e um Ano Novo de Luz e Esperança.

 

 

Deixe uma resposta