DECRETO 1.139/2020

A decisão da prefeita Cida (PROS), de Planaltina frente ao Decreto 9.685 do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) encontrou resistência organizada do empresariado planaltinense, através da ACIAPLA e do CDL. Chamados a conversar com as autoridades municipais Marcelo Henrique da ACIAPLA e Cassiano Calai do CDL, entenderam que a prefeitura teria de assumir uma posição para que o decreto do governador não fosse executado na íntegra e assim, cumprido o fechamento pela Polícia Militar de Goiás (PM-GO). O que representaria um sério prejuízo para o empresariado local. Daí, com a assinatura do Decreto 1.139, o presidente da ACIAPLA agiu no sentido de, primeiro verificar que o Decreto tivesse mais preocupação com o movimento da sociedade fora do comércio (bailes, festas, reuniões, esportes coletivos sem a devida proteção) e o trabalho de conscientização e prevenção com os testes para a Covid 19 e a ação fiscalizadora.

A ACIAPLA já firmou parceria com o Laboratório Exato para oferecer testes mais baratos para o empresário que terá de fazer testagem de 15 em 15 dias e buscou orientação detalhada sobre a ação fiscalizadora que a prefeitura e o estado irá empreender para cumprimento do Decreto. Os testes serão feitos ao custo de R$ 99,90 cada um e o empresário deverá preencher a ficha de filiação na Associação para ser encaminhado ao Laboratório Exato.

Quanto a ação fiscalizadora e o fechamento que dar-se-á no meio de semana (segunda à sexta) abertura às 9:00h e fechamento às 17:00h; e aos sábados fechamento às 15:00h (domingo fechado) só reabrindo na segunda-feira, entenderam os dirigentes que, tendo a fiscalização voltada a partir do sábado à noite e todo o domingo para o combate a aglomerações sociais e não comerciais, as medidas poderão efetivamente ajudar na contenção da disseminação do vírus. FOTOS: Marcelo Henrique – ACIAPLA – em visita ao Laboratório Exato e ao sistema municipal de Fiscalização.

No Decreto ficaram liberados para funcionamento com portas abertas restaurantes, bares e templos religiosos respeitados protocolos de distanciamento.

Nas redes sociais reverberou a insatisfação de comerciantes que ainda não assimilaram o novo fechamento do comércio e as lideranças empresariais estão certas de que é preciso continuar buscando a abertura total, fato que só ocorrerá quando o perigo de uma contaminação em maior escala deixar de existir.

“O teste positivo do presidente Bolsonaro é uma prova de que temos de tomar maiores cuidados conosco e com quem nos cerca, pois sabemos que a rede hospitalar não tem capacidade para atender a demanda da cidade”, explicou Marcelo Henrique, presidente da Associação Comercial local.

Deixe uma resposta