Profissionais pesquisam Planaltina

Da esq. Rebeca, ver. Genival Fagundes e Carol. Pesquisadoras e informante sobre o município

Nestes tempos em que as informações confiáveis do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE – estão defasadas frente a ausência do censo demográfico, suspenso depois de cortes no Orçamento Nacional de 2021 inviabilizando a realização daquele levantamento, profissionais da Fundação Oswaldo Cruz, Fiocruz, vinculada ao Ministério da Saúde estiveram buscando informações sobre o município de Planaltina, neste dia 09 de junho.

As enfermeiras Caroline Barbosa Toledo e Rebeca Galeno dos Santos, componentes do grupo PRSMAD – Programa de Residência em Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da Fiocruz estiveram em visita ao gabinete do vereador Genival Fagundes (PL), buscando informações, a que chamaram “territorialização”, para completarem a Residência multiprofissional do grupo, composto ainda por Matheus de Sousa, assistente social e Ian Jacques, psicólogo, que se faziam presentes no município, pesquisando em outras localidades. “O objetivo da Fiocruz com este trabalho é buscar articulação das redes de apoio existentes, visando o matriciamento local”, explicou a enfermeira Caroline.

Carol e Rebeca levantaram informações desde a localização geográfica, a história de formação, vultos históricos, tendência de desenvolvimento, número aproximado de habitantes, orçamento municipal e questões da saúde pública planaltinense, tudo informado pelo vereador Genival Fagundes.

As profissionais encerraram suas pesquisas no CAPS – Centro de Apoio Psico-Social da Secretaria Municipal da Saúde de Planaltina, local de tratamento da saúde mental dos cidadãos e cidadãs do município.

Deixe uma resposta