PINTURA PARADA: Polêmica com o Professor?

Fachada do prédio próprio da Secretaria da Educação Municipal adquirido pela administração de Dr. Dirceu Ferreira de Araújo.

O que pode tornar-se em bela pintura do pintor Luciano, está parada há mais de duas semanas em Planaltina. O que será? Mais uma polêmica ideológica sobre o Professor Paulo Freire?

Sabe-se que o senhor Paulo Reglus Neves Freire, natural do Recife, o conhecido Professor Paulo Freire, filósofo, pensador respeitadissimo e polêmico não é bem quisto pelo atual presidente da República do Brasil, senhor Jair Messias Bolsonaro, capitão reformado do Exército Brasileiro, instituição que, a partir de 1964 promoveu o que denominaram de Revolução, levando-a até 1991 (eleição de Collor). Período em que a ideologia norte americana contra a União Soviética – Rússia – foi usada entre os que detinham o poder sem o voto popular para presidente da República, governadores, etc.

Pois bem, a Revolução perseguiu o Professor Freire que foi esconder-se no exílio, obrigado-o a vagar pela América, Europa, Ásia e África, localidades onde estudou, deu aulas e foi laureado, retornando ao Brasil com a abertura política democrática. Aí já era tido como gênio da Pedagogia no mundo inteiro e, retornando a São Paulo, sua casa de trabalho, participou do governo da cidade capital como Secretário da Educação da prefeita petista à época, Luiza Erundina.

Pedagogia do Oprimido é o nome do livro mais conhecido e pesquisado de Paulo Freire que, entre os bolsonaristas virou uma espécie de livro de bruxaria, o Capital de Carl Marx para a Revolução de 1964.

Daí a pergunta que não quer calar, já que o prefeito de Planaltina, Cristiomário Medeiros foi eleito pelo PSL e à sombra de Bolsonaro que em 2020 era do partido… Será que puxaram a orelha de quem autorizou estampar o Professor Paulo Freire no prédio da Secretaria da Educação ou o mau tempo (chuva) atrapalhou o serviço?

Fica a pergunta. Afinal, o que poderia estar bonito está feio em meio aos andaimes.

Deixe uma resposta