GARRAFAS DE VIDRO DESCARTADAS

Um objeto de utilidade indiscutível no mercado, as garrafas de vidro acham-se largadas nos becos, nos lotes baldios e são quebradas aos milhares ou catadas ainda inteiras nos lixos chamados lixões das grandes e médias cidades brasileiras.

Quem vê, neste quadrante de desenvolvimento da sociedade, pode deduzir que o Brasil é grande produtor de vidro, que exporta mais este material quando in natura, o que é um grande engano, pois os maiores produtores de vidro do mundo são de além mar, da Europa.

Dai não ser admissível que, além de representar material poluente a natureza, não natural do Brasil neste caso, representa enorme prejuízo para a economia popular que, certamente, está pagando o desperdício do vidro, embutido no preço das bebidas como vinho, cerveja, runs, cachaça e também vários medicamentos.

Por muito estranho que pareça, não existe nenhum interesse dos estabelecimentos vendedores (bares, restaurantes, supermercados, distribuidoras de bebidas atacadistas ou varejista) de recolherem o que comumente é chamado de “casco”, “vazilhame”, o que tem levado a este grande desperdício, propiciado pela sociedade brasileira, que vive reais dificuldades econômicas.

Deixe uma resposta