Valor bruto da produção agrícola tem aumento recorde de 27% no DF

Comemorando 44 anos nesta quinta-feira (7), Emater-DF divulga que a produção agropecuária alcançou R$ 4,5 bilhões em 2021, superando em cerca de R$ 1 bilhão a de 2020

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

A Emater-DF completa 44 anos de atividade nesta quinta-feira (7) comemorando, pelo sexto ano consecutivo, aumento no Valor Bruto de Produção (VBP) do Distrito Federal. O VBP é calculado multiplicando o valor da produção de cada produto agrícola e da pecuária pelos preços médios recebidos pelos produtores (produção x R$). Em 2021, a produção agropecuária do Distrito Federal alcançou R$ 4,5 bilhões, um crescimento de 27,3% em relação a 2020, que foi de pouco mais de R$ 3,5 bilhões.

Milho é uma das culturas que mais contribuíram para o crescimento do Valor Bruto de Produção no DF | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

O setor com maior crescimento foi o das grandes culturas (milho, soja, feijão, sorgo, feno), com VBP de R$ 1,7 bilhão (aumento de 61,66% na comparação com o ano anterior), ultrapassando o setor da pecuária, que teve um VBP de R$ 1,4 bilhão (+4,11%) em 2021. Já as cadeias produtivas da olericultura, floricultura, fruticultura, silvicultura, somadas, tiveram um valor bruto de R$ 1,2 bilhão em 2021 (+33,25%).

“A soja e o milho representam 80,60% da área plantada total de 161.310 hectares das grandes culturas. A produção dessas commodities foi impulsionada mais ainda pelas demandas interna e externa e pelos altos preços de mercado em 2021” – Jair Tostes, extensionista da Emater-DF

“A soja e o milho representam 80,60% da área plantada total de 161.310 hectares das grandes culturas. A produção dessas commodities foi impulsionada mais ainda pelas demandas interna e externa e pelos altos preços de mercado em 2021″, explica o extensionista Jair Tostes, da Gerência de Desenvolvimento Econômico da Emater-DF.

Confira aqui o VBP.

Os dados representam o potencial econômico do setor agropecuário do Distrito Federal e como a assistência técnica e a extensão rural dão resultado na vida das pessoas do campo, em especial na dos pequenos produtores e agricultores familiares. Como braço do governo no campo, a Emater-DF trabalha na qualificação do trabalho rural, auxiliando os produtores com gestão, assistência técnica e levando conhecimento e acesso a políticas públicas ao meio rural.

“São cerca de 300 profissionais, em 15 escritórios nas regiões administrativas e na sede, que formam equipes multidisciplinares para atender às necessidades dos produtores em diversas áreas, desde o planejamento da produção até a comercialização”, ressalta a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, que destacou também a atenção especial dada às mulheres e aos jovens do campo.

A Emater-DF trabalha na qualificação do trabalho rural, auxiliando os produtores com gestão, assistência técnica e levando conhecimento e acesso a políticas públicas ao meio rural

“O trabalho da Emater-DF vai muito além de tudo isso. Nossos técnicos atuam para levar qualidade de vida, inclusão social e de gênero e também para motivar os jovens a viver, trabalhar e empreender no campo”, ressalta ela.

Veterinários, zootecnistas, engenheiros agrônomos, economistas domésticas, técnicos agrícolas, técnicos em agroindústria, engenheira de alimentos, nutricionistas e engenheiros ambiental e florestal são alguns dos profissionais que atuam na empresa.

“Independentemente da profissão, todos atuam com uma visão holística da propriedade, que busca uma interação maior com o ambiente, melhorando as condições de produção, a gestão da atividade, as condições sociais da família e a conservação ambiental”, afirma a diretora executiva da empresa, Loiselene Trindade.

Para agendar atendimento ou visita técnica da Emater-DF na sua propriedade, basta entrar em contato com uma das unidades locais.

Clique nos temas abaixo para saber um pouco mais sobre os serviços da empresa:

– Adequação ambiental e regularização fundiária
– Desenvolvimento agropecuário (olericultura, floricultura, fruticultura, pecuária, piscicultura)
– Desenvolvimento social (artesanato, benefícios sociais, segurança alimentar, saneamento rural etc)
– Gestão, comercialização e mercado
– Compras institucionais
– Linhas de Crédito Rural
– Cursos de capacitação e qualificação
– Serviços pagos para produtores patronais
– Agricultura urbana

*Com informações da Emater-DF

Deixe uma resposta