PATRIMÔNIO CULTURAL

A cidade goiana de Planaltina, nova sede do município centenário, deixou, por força da cessão de grande parte de terras de seu município ao Distrito Federal a partir de 1960, a grande maioria, senão quase a totalidade de seus monumentos históricos para trás, iniciando do nada, em meio ao cerradão da Faz. Brasília, propriedade de Joaquim Mineiro a construção de sua nova sede, hoje com cerca de 150 mil habitantes.

A nova sociedade planaltinense como que órfão de suas raízes, mesmo porque neste ínterim,  a população cresceu fora de controle por força da construção de Brasília e cada um veio com sua tradição, tem buscado manter as tradições goianas e criar ou resgatar obras e sentimentos culturais, consolidando de vez o sentimento de pertencimento planaltinense.

O vereador Isaías Oliveira exibe seu presente à nova sociedade planaltinense.

Isaias Oliveira, vereador planaltinense, empossado em 2020 para o mandato até 2024, visualizou a necessidade de materializar a Igreja de Santa Catarina de Alexandria, construção católica do século passado, monumento deixado por uma família portuguesa no loteamento Nova Goa, distante 12 quilômetros da sede municipal como “monumento cultural de Planaltina”.

O parlamentar, depois do feito importante de reconhecimento, tem levado uma foto da “Igrejinha que desaparece” como exibição de seu sucesso com os dizeres “Primeiro monumento cultural reconhecido em Planaltina”.

 

 

Deixe uma resposta