LUTA PELO TRANSPORTE

Fernanda Fonseca, usuária do transporte de Planaltina X Brasília assinou o abaixo assinado.

O transporte coletivo das cidades do entorno do DF indo para o maior empregador da região, Brasília, sempre foi problema para o usuário. “Brasília já dá o emprego, não precisa preocupar-se mais” do outro lado, “É muito perto, não precisamos nos preocupar com isso”. Tanto o Distrito Federal quanto Goiás, institucionalmente, não se preocuparam até agora com estes trabalhadores, mais de 100 mil que, diariamente deslocam-se de Águas Lindas de Goiás, Padre Bernardo, Mimoso, Água Fria de Goiás, Formosa, Planaltina, Cidade Ocidental, Val Paraíso de Goiás, Luziânia e Santo Antônio do Descoberto rumo ao trabalho na capital federal.

Em Planaltina especialmente, o transporte interestadual para Brasília teve um período de relativa competência, quando a empresa Rápido Planaltina, empresa do Grupo Amaral era a responsável por estes serviços. Até quando um governo do município que nada tinha a oferecer, resolveu instigar a população contra a Rápido Planaltina, abrir guerra contra o que denominaram “monopólio do transporte”, promoverem uma quebradeira de ônibus sem precedentes e levarem a empresa a abandonar sua concessão precária em favor não se sabe de quem.

De lá, anos 90 até hoje, já passaram cerca de dez empresas e o transporte de passageiros para Brasília tem sido muito útil aos políticos que, de pleito em pleito renovam a promessa de colocar novas empresas, baratear o custo das passagens, etc, etc., tendo, inclusive servido de alegação até para cassação de prefeito mas, a solução, pelo menos a estabilização de uma empresa, não mais se conseguio.

ABAIXO ASSINADO

João (dir.) está colhendo assinaturas para sensibilizar autoridades.

Conhecido trabalhador, militante político de Planaltina, João Pereira de Jesus está colhendo assinaturas para sensibilizar autoridades, tendo a Associação dos Usuários de Transporte de Planaltina-GO e DF como receptora. “Queremos colher umas 30 mil assinaturas aqui em Planaltina e levar para o Ministério Público. Tomar o caminho certo, diz o cidadão. Se o MP não ajudar, quem é que vai ajudar?”, indaga.

Um Comitê criado pelo poder público local foi criado e desfeito em menos de 90 dias. Passaram pela presidência do Comitê o ex-vereador José Narciso e o usuário Jefferson Amador que, pelo visto tentaram resolver a questão mas não conseguiram. João de Jesus vem aí. “A luta continua, companheiro!”

Neste início de julho o governador de Goiás, Ronaldo Caiado mobilizou prefeitos, vereadores e autoridades do Distrito Federal na direção de ver o problema e, quem sabe, a abaixo-assinado de João possa encontrar guarida!

Falta muito, mas o objetivo é chegar ao número de usuários diários indo e vindo de/para Brasília.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *