PREVIPLAN ESTÁ COM ROMBO ACIMA DE 100 MILHÕES

Quadro que analisa o crescimento da dívida a partir de 2009, quando , definitivamente a prefeitura de Planaltina deixou de recolher os recursos para a PREVIPLAN.

Em reunião que ocorre na sede da PREVIPLAN – Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Planaltina, os conselheiros do fundo, juntamente com o profissional responsável pela aplicação dos recursos, analisaram as novas perspectivas de invetimento frente ao quadro nacional (aprovação da reforma da Previdência Nacional pelo Congresso e outras variáveis) e ainda tomaram canhecimento pelas mãos da presidente Maria Márcia Silva, da evolução da dívida da prefeitura para com o Fundo desde 2009.

Presentes à reunião os vereadores Genival Fagundes (PNM) e Lindomar (PCdoB), o Secretário da Administração Gilmar José, os Servidores Conselheiros, João Edson Carvalho, o Joãozão, Robson Teles, Adão Xavier, Dra. Helena e o advogado Dr. Gilson.

A presidente sugeriu aos presentes o encaminhamento ao prefeito Eles Reis de Freitas, pelo Conselho do Fundo, de um documento que expresse a preocupação da gestão da PREVIPLAN para com a situação calamitosa em que se encontra a instituição e o vereador Genival Fagundes sugeriu que, valores vindos de fontes extras da prefeitura possam passar a serem recolhidos para a Previdência.

O secretário de Administração da prefeitura, Gilmar José, disse que, depois de analisar as contas mencionadas pelo vereador junto com o prefeito Reis, vê com bons olhos a possibilidade daqueles recolhimentos, visto que é de interesse da sua administração trabalhar para, no mínimo, “demonstrar interesse em resolver o problema, que é grave”, afirmou Gilmar.

A planilha apresentada pela presidente da PREVIPLAN, Márcia, aos membros do Conselho, expõe somente os números deixados de arrecadar pela prefeitura, que serão corrigidos pelos índices legais quando for negociar qualquer pagamento, elevando o valor de 96.387.485,56 da dívida simples para, certamente, mais de 100.000.000,00.com as correções necessárias.

Deixe uma resposta