domingo, maio 22, 2022
InícioCuriosidadesCOMO O ÚLTIMO IMPERADOR CHINÊS ACABOU A VIDA COMO UM JARDINEIRO

COMO O ÚLTIMO IMPERADOR CHINÊS ACABOU A VIDA COMO UM JARDINEIRO

O homem conhecido como Henry Pu Yi levou uma das vidas mais “estranhas” do século XX. Tinha apenas 2 anos, em 1908, quando foi coroado como o 11° imperador chinês. Três anos mais tarde, a China foi varrida por uma revolução que transformou a nação em uma república. A abdicação de Henry Pu Yi até foi organizada, mas lhe permitiram manter o título de imperador e ostentá-lo mesmo que não de maneira verdadeira.

Sem dúvidas, o menino não notou que tudo havia mudado. Mas como bem observou Edward Behr, seu biógrafo, o palácio imperial seria a primeira de suas muitas prisões.

Pu Yi. (Fonte: History/ Reprodução)

O imperador menino

Visto que Pu Yi tinha apenas 2 anos quando se tornou imperador, era o seu pai quem governava na prática. Era um período crítico para a Dinastia Qing, que já não conseguia exercer muito poder sobre o império e sucumbiu ante um senhor da guerra chamado Yuan Shikai.

Em 1912, com a Revolução Chinesa, os Qing caíram oficialmente. Nessa época, a mãe de Pu Yi assinou um acordo para que a criança não perdesse seu posto de imperador.

Embora a família real e Pu Yi não possuíssem mais nenhum poder, a criança foi autorizada a viver na Cidade Proibida. Yuan Shikai temia que, ao expulsá-lo do palácio, civis chineses se revoltassem.

Pequim e a Cidade Proibida caíram para muitos senhores da guerra nos anos seguintes, mas ainda assim Pu Yi viveu nela até 1924.

Segunda Guerra Mundial

Durante toda a 2° Guerra Mundial, Pu Yi permaneceu com o título de imperador. No entanto, não era nada além de um fantoche para o Japão, presente em território chinês durante esse período. Em 1945, com a guerra se definindo contra os japoneses, ele até pensou em fugir para o país vizinho para estar mais protegido. No entanto, com a rendição japonesa, ele acabou renunciando ao título.

Em uma de suas tentativas de fuga para a Coreia e o Japão, acabou sendo pego pelos soviéticos. Preso, foi parar na Sibéria, onde permaneceu em cativeiro, embora em circunstâncias confortáveis. Ficou sob essas condições até 1950, época em que a China adotou o regime comunista.

De volta à China, Pu Yi tinha plena convicção que seria executado. Contudo, os chineses decidiram mandar o ex-imperador para um centro de administração de criminosos com outros membros de sua família e ex-oficiais. Recebeu o número 981 e se tornou o responsável pela horta da prisão.

Em 1962, Pu Yi casou-se com uma enfermeira que o governo da China lhe recomendou como esposa. Mais tarde, tornou-se público que ela não era uma boa pessoa. Após ser libertado, ele conseguiu um emprego no jardim botânico nacional de Pequim.

(Fonte: John Springer Collection/Getty Images/ Reprodução)

Um trabalho humilde e comum para um homem que já foi chamado de imperador e comandaria cerca de 1/4 da população do planeta se as condições tivessem sido favoráveis.

Muitas vezes, Pu Yi aparecia em fotos, eventos e era apresentado a dignitários estrangeiros apenas como uma curiosidade interessante da história recente da China. Morreu em 1967, aos 61 anos, vítima de um câncer nos rins e próximo da terra e das plantas que tanto amava.

 Fonte: Mega Curioso

RELATED ARTICLES

Deixe uma resposta

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments

ANA C M S FIGUEREDO on DESTAQUE SOCIAL – Aninha Macedo –
Rock sem partido on O CARNAVAL FOI LIBERADO?
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Terezinha on CORETO ABANDONADO
Edson Campelo de Amiranda on Ponto de Vista É PRECISO POLÍTICOS LOCAIS
Antonio de Pádua on Sobre
Antonio de Pádua on Sobre
Ceiça Nascimento on Sobre
LUCIANA FREITAS on Sobre
Tatiana Mourão on Sobre
admin on Sobre
Evando Meneses on Sobre